Home MaranhãoMARANHÃO Com leitura lúdica, escritora maranhense aborda abuso sexual infantil em livro para crianças

Com leitura lúdica, escritora maranhense aborda abuso sexual infantil em livro para crianças

por Correio do Maranhão
0 commentar

Livro ‘Diário Mágico: um segredo para contar’ foi publicado pela pedagoga e especialista em educação inclusiva, Sharlene Serra e aborda o tema na visão de uma menina. O g1 reuniu uma lista com telefones úteis que são canal direto para denúncias de casos de abuso sexual.

Sejam estranhos, parentes mais próximos ou até amigos da família, qualquer pessoa é passível de praticar abuso sexual contra crianças e adolescentes. Por isso, para lembrar a importância de debate e combate do tema, foi instituído, em 18 de maio, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

No Maranhão, relatos de casos de abuso sexual sofridos por uma crianças, se tornaram incentivo para a publicação de um livro infantil que aborda o tema.

Escrito pela pedagoga e especialista em educação inclusiva, Sharlene Serra, o livro ‘Diário Mágico: um segredo para contar‘, aborda a história de uma menina possui um diário ‘megamoderno’, conta para ele detalhes da sua vida e ele se torna seu confidente.

“Eu escrevi o livro porque teve uma criança que viu em mim um diário, sentiu confiança para contar o que aconteceu com ela, um caso de abuso sexual, e eu não poderia ajudar socialmente só aquela criança enquanto o mundo inteiro pede socorro”, relembra.

Ao g1, a escritora explicou que a intenção é que, ao decorrer da leitura, as crianças e adolescentes consigam perceber os sinais do abuso sexual, que em alguns casos, são sutis. Além disso, a ideia é promover a conscientização a respeito do tema e em casos de abuso, fazer com que essas pessoas busquem ajuda.

“A ideia é fazer com que as crianças percebam os sinais e não se culpem, porque o abuso infantil tem muito isso, da criança se sentir culpada pelo abuso que estão sofrendo. Elas vão se proteger, o abuso acontece com mais pessoas conhecidas e não com estranhos”, explica Charlene.

Publicado em 2017 de maneira independente, o livro foi republicado, desta vez, por uma editora do Ceará. Com a nova roupagem, o exemplar ganhou novas páginas páginas, que funcionam como páginas de um diário, dando liberdade para que a criança ou adolescente, possa contar os seus segredos.

“Utilizei a figura do diário porque durante muito tempo ter um era o meu desejo e muitas meninas como eu, usavam ele para confidenciar coisas pessoais. E geralmente, é assim que nós conseguimos chegar a esses casos de abuso sexual infantil”, conta.

Há 11 anos trabalhando com inclusão social, a escritora maranhense é autoria de uma série de livros infantis chamada de ‘Coleção Incluir’. Os exemplares contam com personagens que possuem diferentes tipos de deficiência, com o objetivo conscientizar crianças em relação ao tema.

“Eu como escritora, tive que me desprender da dor de falar do abuso. Porque se você não sente a dor do outro, então o problema é com você. Então, quando eu imagino uma criança sendo vítima, eu sinto dor, eu tive que me desprender para escrever com uma leveza”, explica.

De maneira lúdica e em duas línguas, inglês e em português, a leitura também pode ser voltada para os pais ou responsáveis das crianças ou adolescentes. A ideia é ampliar o conhecimento dessas pessoas a respeito da temática e desta forma, estabelecer um elo maior de confiança entre pais e crianças.

“O carinho nunca vem seguido da palavra segredo. Sem vem seguido disso, é violência. É preciso ensinar para a criança que as vezes, o toque do agressor não é só nas partes íntimas, mas ele pode tocar no cabelo e na nuca mas com segundas intenções”, finalizou.

Como denunciar?

Casos de abusos sexuais e maus-tratos de crianças e adolescentes podem ser denunciados pelas pessoas mais próximas ou desconhecidos aos órgãos públicos competentes. Veja, abaixo, os canais de denúncia:

Conselho Tutelar (São Luís)

  • Centro/Alemanha: Rua Veleiros, S/N – Camboa. Telefone: 99156-5682 / 99153-5557;
  • Itaqui Bacanga: Rua da União, Nº 02 – Vila Bacanga. Telefone: 99109-1113 / 99134-4872;
  • Vila Luizão/Turu: Avenida 21 de junho, 24 – Vila Luizão. Telefone: 9 9108-8734 / 9 9129-0665;
  • Cidade Operária/Cidade Olímpica: Unid. 205 Rua 205 S/E , nº 58, Bairro – Cidade Operária. Telefone: 99156-7231 / 99160-1245;
  • Coroadinho/João Paulo: Rua 13, Quadra 10 , Casa 09 – Filipinho, próximo ao Hotel Pilão. Telefone: 99101-6249;
  • Zona Rural: Rua Machado de Assis nº 01 – Vila Nova República. Telefone: 99109-9529 / 99142-3540;
  • São Cristóvão/São Raimundo: Rua 39, Quadra 40, N 22– Jardim São Cristóvão. Telefone: 99158-9174
  • Cohab/Cohatrac: Rua Sotero dos Reis, nº 09, Bairro – Cohab Anil III. Telefone: 99154-9081 / 99147-4489
  • São Francisco/Cohama: Rua das Limeiras, nº 5, Qd. C, Bairro – Jardim Renascença I. Telefone: 99108-5766 / 99134-8671;
  • Anil/Bequimão: Av. Edson Brandão, 283, Cutim / Anil. Telefone: 99158-7958 / 99143-9290

Disque 100 (Secretaria de Direitos Humanos)

O Disque 100 atende 24 horas, todos os dias, incluindo fins de semana e feriados, em todo o Brasil. Pela internet, as denúncias podem ser feitas pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil ou pelo WhatsApp, no número (61) 99656-5008.

A Secretaria de Direitos Humanos recebe denúncias anônimas e encaminha o assunto aos órgãos competentes no município de origem da criança ou adolescente.

Polícia Militar do Maranhão (PM-MA)

O 190 é o número de telefone da Polícia Militar, que deve ser acionado em casos de necessidade imediata ou socorro rápido. O 190 recebe ligações de forma gratuita em todo o território nacional.

Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA)

A DPCA fica localizada na Praça Gonçalves Dias, n° 01, próximo a Rffsa em São Luís. O local funciona das 8h às 18h e o telefone para contato é (98) 3214-8668.

Por: https://g1.globo.com

Related Articles

Deixe um Commentario