Home RURAL Uma semente de batata especial e bem adaptada para frituras e cozimento com alta produtividade

Uma semente de batata especial e bem adaptada para frituras e cozimento com alta produtividade

por Correio do Maranhão
0 commentar

Uma nova cultivar desenvolvida pelo Programa de Melhoramento Genético de Batata da Embrapa possui características que conferem versatilidade culinária aos tubérculos. O baixo teor de açúcares e a concentração de 21% de matéria seca garantem qualidade à BRS F183 (Potira) para ser cozida ou frita. No campo, o destaque é o potencial produtivo, que pode superar 50 toneladas por hectare.

Os principais fatores que garantem qualidade às batatas para processamento são o teor de açúcares e de matéria seca, já que níveis baixos de açúcares evitam o escurecimento após a fritura e teor de matéria seca superior a 20% indica alto rendimento industrial e qualidade para fritura, principalmente com relação à textura. Isso é importante porque a aceitação da batata para fabricação de palitos pré-fritos depende muito da cor e da textura do produto final.

“Para a indústria de palitos os requisitos são o formato alongado e tamanho grande; o teor de matéria seca alto, para rendimento industrial, no sentido de absorver menos gordura, ficando crocante, porque absorve menos água; e o teor de açúcar baixo, que não escurece na fritura”, reforça o pesquisador da Embrapa Clima Temperado (RS) e líder do Programa de Melhoramento Genético de Batata da Embrapa, Arione Pereira.

A BRS F183 (Potira) é indicada para cultivo nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País. É mais adaptada à safra de inverno (plantios de maio a julho) dos estados de Minas Gerais e São Paulo e às safras de outono (plantios de fevereiro a março) e primavera (plantios de agosto a setembro) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Também é adaptada à safra de verão nas regiões de maior altitude do Sul do país.

Se bem manejada, a cultivar apresenta potencial produtivo alto, que supera as 50 toneladas por hectare, com estabilidade de produção. As plantas possuem porte médio a grande, ciclo vegetativo longo (levam, em média, 110 dias para produzir), período de dormência médio (tempo médio para desenvolvimento dos brotos) e rusticidade média (indica necessidade média de cuidados com a planta para seu bom desenvolvimento).

Com relação a doenças, a cultivar é moderadamente resistente à alternária, moderadamente suscetível à requeima e suscetível à sarna comum. Devido a essa suscetibilidade à sarna comum, algumas medidas de controle são recomendadas para garantir o desenvolvimento sadio das plantas, como evitar o plantio em solos com risco da doença e com pH acima de 5,5; fazer controle da sanidade das sementes; e manejar a água de irrigação para evitar períodos secos no início da formação dos tubérculos.

Interessados em se tornar licenciados para produção e comercialização de sementes da BRS F163 (Potira) devem fazer contato com a Estação Experimental Canoinhas pelos telefones (47) 3624-0127, (47) 3624-0195 ou (47) 3624-2077; ou pelo e-mail cpact.eecan@embrapa.br.

No caso de produtores interessados em adquirir sementes ou mudas, a indicação é entrar em contato com os produtores já licenciados para multiplicação e comercialização (Tsutomu Massuda, em Castro/PR, massuda@unicastro.com.br, (42) 3233-4384). A recomendação é sempre fazer a aquisição de materiais de procedência, certificados e com boa sanidade, para garantir a expressão do potencial máximo da cultivar no campo.

Por: Nordeste Rural

Related Articles

Deixe um Commentario