Home BALSAS Secretaria da Saude avança com ações do Projeto Viver Mais na região de Balsas

Secretaria da Saude avança com ações do Projeto Viver Mais na região de Balsas

por Correio do Maranhão
0 commentar

Com o objetivo de fortalecer as ações voltadas para pacientes hipertensos e diabéticos no Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou, nesta terça-feira (17), a oficina do Projeto Viver Mais para 200 participantes, entre agentes comunitários, gestores de saúde e coordenadores da extensão básica, em Balsas.

“A Região de Balsas sempre foi modelo de cuidado integrado entre município e estado para a atenção à saúde. Aqui nós conseguimos unir a Atenção Básica com a Média e Alta Complexidade, de modo que o Projeto Viver Mais vem reforçar o cuidado da Atenção Básica para evitar doenças como diabetes e hipertensão”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, durante a abertura do evento.

O Projeto Viver Mais tem como meta implantar uma linha de cuidado de Atenção Integral a Diabetes Mellitus, Diabetes Gestacional e Hipertensão Arterial, mediante processos de educação permanente, rastreamento e interfaces intra e intersetoriais, contribuindo para a redução da mortalidade materna no Maranhão.

A secretária adjunta da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Waldeise Pereira destacou que, durante a oficina, foi realizada a implantação do projeto, que é um objetivo grandioso para o Estado do Maranhão. “Iremos implantar uma linha de cuidado para a hipertensão arterial, diabetes gestacional e diabetes mellitus. Neste evento, estamos capacitando e criando uma estratificação de risco para esse público”, afirma a secretária adjunta Waldeise Pereira.

Durante o evento, também foi assinado o Termo de Compromisso com todos os geradores municipais do Projeto Viver Mais e lançada a portaria estadual do grupo condutor do projeto. “Essa capacitação dos nossos profissionais vai ser de grande benefício para toda a região de Balsas, pois, neste período pós-pandemia, temos que reaplicar a reestruturação da saúde, pois sabemos o quanto a Atenção Básica foi danificada durante a pandemia”, disse o secretário municipal de Saúde de Balsas, Railson Felix.

Entre as temáticas da oficina, estiveram a abordagem clínica do diabético e hipertenso de alto risco, o atendimento a gestantes com diabetes e hipertensão, a detecção precoce do pé diabético e tratamento das complicações macrovasculares, entre outros.

De acordo com a chefe do Departamento de Atenção à Saúde do Adulto e Idoso da SES, Claudiana Cordeiro, as atividades do Viver Mais contemplam, inicialmente, a região de Balsas, alcançando cerca de 13 municípios. “A ideia é qualificar ainda mais a Atenção Básica para que ela seja resolutiva e para que esses pacientes possam ter, dentro das Unidades Básicas de Saúde, o serviço especializado para o seu atendimento”, explicou.

As oficinas e formações em serviço foram iniciadas nos 13 municípios da Regional de Saúde de Balsas sob a responsabilidade de técnicos da SES, do Departamento da Saúde do Adulto e do Idoso e da Unidade Regional de Saúde de Balsas. “Aqui nós trabalhamos principalmente a questão do manejo clínico com relação à hipertensão e à diabetes, que são doenças que agravam muito a população. O fortalecimento da Atenção Primária é principalmente para que possamos conseguir fazer a prevenção”, afirma a gestora Regional de Saúde de Balsas, Cátia Coelho.

O público do projeto contempla a população dos 13 municípios da Região de Saúde de Balsas, totalizando 132.149 habitantes, com a faixa etária maior ou igual a 18 anos, em 84 estratégias de saúde da família, com um total aproximado de 671 profissionais da Atenção Primária e Secundária que serão capacitados para implantação das diretrizes clínicas e realização da estratificação de risco para esses agravos, com a proposta também de Estruturação das Unidades Básicas e Unidade de Referência.

Executado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o projeto conta com financiamento da Fundação Mundial de Diabetes e com a parceria da Sociedade Brasileira de Diabetes, da Secretaria de Estado Extraordinária de Políticas Públicas (Seepp) e da Escola de Saúde Pública do Maranhão.

Entre as temáticas da oficina, estiveram a abordagem clínica do diabético e hipertenso de alto risco, o atendimento a gestantes com diabetes e hipertensão, a detecção precoce do pé diabético e tratamento das complicações macrovasculares, entre outros. #OMaranhaoSeInformaAqui

Por: Emanuel Lemos

Related Articles

Deixe um Commentario