Home RURAL As pragas mais comuns que atacam os canaviais brasileiros

As pragas mais comuns que atacam os canaviais brasileiros

por Correio do Maranhão
0 commentar

De acordo com a pesquisadora Nilza Patrícia Ramos, vários estudos foram realizados na região de Guaíra (SP). Entre eles, um durante o ciclo da cana-planta (18 meses) e o outro entre a primeira e segunda socas (2 anos). “As ocorrências simultâneas da mancha anelar e podridão vermelha, associadas à mancha foliar, foram as únicas doenças observadas, independentemente das práticas conservacionistas utilizadas nos experimentos”, explica.

Segundo a pesquisadora, a mancha anelar é muito comum, mas não é considerada uma das principais doenças no Brasil, embora seja utilizada como parâmetro de seleção em programas de melhoramento para eliminar genótipos suscetíveis.

A podridão vermelha ocorre em vários estágios da planta, com sintomatologia diferenciada, causando morte de gemas, manchas em folhas e apodrecimento do colmo. A colonização dos colmos pelo patógeno leva ao apodrecimento, que é a forma mais grave da doença e geralmente está associada a lesões causadas pela broca da cana-de-açúcar.

Já a ferrugem marrom e a ferrugem alaranjada podem causar perdas em variedades suscetíveis. A primeira, também chamada de ferrugem comum, está presente no Brasil desde meados da década de 1980. Já a ferrugem alaranjada teve seus primeiros registros no País em 2010. Embora os sintomas sejam parecidos, algumas diferenças são observadas: pela análise da coloração, tamanho e o formato das estruturas reprodutivas dos fungos.

No caso da podridão vermelha ocorre em vários estágios da planta, com sintomatologia diferenciada, causando morte de gemas, ocasionando redução da germinação de toletes, manchas em folhas e apodrecimento do colmo do órgão. Os sintomas da doença em folha são tipicamente distribuídos na nervura central, o que facilita a sua identificação. As lesões são inicialmente ovaladas de coloração bege e circundadas por halo vermelho.

Outra praga é o mosaico, uma das doenças mais comuns nos canaviais e, também, uma das mais antigas. É causada por um vírus que conta com ao menos 14 linhagens diferentes. A transmissão se dá por meio de pulgões ou ainda pela utilização de mudas infectadas. O principal sintoma é a mudança de cor nas folhas da cana-de-açúcar. Em estágio avançado, no entanto, as folhas ficam avermelhadas e podem necrosar.

O raquitismo da soqueira é a mais importante enfermidade dos canaviais em nível mundial. Inicialmente, a doença não apresenta sintomas visíveis, o que impede que o produtor descubra o problema antes da colheita. Provoca o surgimento de touceiras e de colmos menores. Com isso, o canavial acaba se tornando desuniforme, reduzindo também a sua produtividade. Falta de água e ocorrência de doenças simultâneas podem colaborar para a disseminação da doença.

Os sintomas da mancha anelar são caracterizados por manchas de formato fusiforme inicialmente amarronzadas com bordos escuros. Com o progresso da doença, a lesão se expande, tornando-se cor de palha. Em seu centro, é comum observar pontuações pretas e pequenas, que são os corpos de frutificação do fungo. Embora na literatura se descreva que os sintomas da mancha anelar são restritos às folhas velhas e senescentes, observa-se nos plantios a ocorrência da mancha anelar também em folhas novas, em alguns casos com alta severidade.

Por: nordeste Rural

Related Articles

Deixe um Commentario