Home RURAL Mais produtividade nas plantações de tomate com uso de bactérias funcionais

Mais produtividade nas plantações de tomate com uso de bactérias funcionais

por Correio do Maranhão
0 commentar

Segundo o pesquisador Wagner Bettiol, a taxa de salinização dos solos tem se expandido globalmente, causando problemas de segurança alimentar em diversos países. Além disso, o estresse salino ocorre naturalmente em regiões áridas e semiáridas. A salinização dos solos afeta negativamente a fotossíntese, a absorção de nutrientes, a transpiração, a síntese de proteínas e as regulações hormonais resultando em menor crescimento das plantas.

Para tentar vencer essa dificuldade, cientistas da Embrapa Meio Ambiente (SP) avaliaram o potencial de isolados de bactérias funcionais para promover o crescimento de tomateiros cultivados sob condições de estresse salino do solo. De 154 estirpes de bacilos inicialmente estudadas, quatro foram selecionadas e apresentaram aumento na altura, pesos das raízes e da parte aérea, teor de clorofila e diâmetro do caule. Além disso, conseguiram reduzir em mais de 50% a severidade da murcha de Fusarium em tomate.

Carlos Medeiros, explica detalhes da pesquisa: “Utilizamos seis testes bioquímicos para fazer essa primeira seleção. Diversos isolados de bacilos apresentaram respostas positivas, mas foram selecionados os que mostraram, pelo menos, quatro respostas positivas aos seis testes para as fases seguintes dos estudos”, informa Carlos.

Entre as cepas selecionadas, a mais eficiente foi uma de Bacillus velezensis, espécie que vem se destacando nos estudos relacionados ao controle biológico de doenças de plantas, explica Bettiol. “Esse isolado reduziu a severidade da murcha de Fusarium em mais de 50%”, destaca.

Após toda a experimentação e análise dos dados, Carlos ressalta: “chegamos à conclusão de que os isolados estabeleceram uma interação com as plantas, o que desencadeou diferentes mecanismos de defesa”. Segundo ele, essa associação com a planta é fundamental para que os isolados de bacilos tenham controlado a doença causada por Fusarium, aumentado o crescimento das plantas e a tolerância ao estresse salino, o que sugere que podem ser usadas de forma benéfica em controle biológico na agricultura.

Por: Nordeste Rural

Related Articles

Deixe um Commentario