Home ESPORTE Medalha e sorriso de Rayssa contribuem para debate etário no esporte

Medalha e sorriso de Rayssa contribuem para debate etário no esporte

por Correio do Maranhão
0 commentar

Com 13 anos e sete meses, a fadinha, que descobriu o esporte brincando, ganhou sua medalha sem parecer sentir o peso de uma torcida nacional

O que você fazia aos 13 anos? A não ser que seu nome seja Rayssa Leal, certamente disputar uma final olímpica de skate do outro lado do mundo não faz parte da sua resposta. Em Tóquio, nesta segunda-feira (26), Rayssa, a fadinha, esteve tão longe, em um evento tão grande, com tão pouca idade, para fazer história. 

Mais precisamente, Rayssa tem 13 anos, 6 meses e 21 dias. Enquanto especialistas analisavam tecnicamente a performance e telespectadores emprestavam o coração para torcer por sua vitória, um outro debate, em volume baixo, pedia atenção no canto da sala: afinal, é idade para ser uma atleta de alto rendimento?

Não é uma faixa etária completamente discrepante. Ao mesmo tempo em que o skate se desenrolava em Tóquio, caía na piscina, pela prova dos 200m livres, o romeno David Popovici, favorito à medalha com apenas 16 anos. Mesmo na prova de skate a fadinha competiu com atletas de idades semelhantes à dela — a medalhista de ouro, Momiji Nishiya, também tem 13. O esporte, inclusive, já está habituado a lidar com atletas nesta faixa: em 2019, a japonesa Misugu Okamoto foi campeã com os mesmos 13 anos — Rayssa, com 11, foi a vice.

Por: Leandro Iamin

Related Articles

Deixe um Commentario